A aposentadoria não significa um final, mas sim uma nova fase em que a pessoa poderá realizar outros objetivos e projetos

terça-feira, 18 de março de 2014

Conselho Deliberativo de Entidades da Condsef agenda novas atividades de pressão para abril


A palavra de ordem é pressionar. Sem qualquer avanço nos processos de negociação com o governo e com uma série de termos de acordo pendentes, servidores federais devem intensificar as cobranças junto ao governo. Nesta quarta-feira, 19, um novo ato acontece em frente ao Bloco K do Ministério do Planejamento a partir das 9 horas. A atividade reúne as trinta e uma entidades que compõem o fórum em defesa dos servidores e serviços públicos e volta a cobrar do Planejamento uma resposta formal à pauta da campanha salarial unificada dos federais, prometida pelo governo para antes do feriado de carnaval e que ainda não foi dada. Frente ao cenário de arrocho propagado pelo governo, mesmo discurso repetido nos últimos anos, o Conselho Deliberativo de Entidades (CDE) da Condsef apontou novas atividades de pressão já para abril. A Condsef vai levar o calendário proposto para o fórum nacional. O objetivo é continuar consolidando ações unificadas com o conjunto dos federais.

Exatamente por repetir o cenário de arrocho já conhecido pelos servidores, a construção de uma greve geral continua não sendo descartada pelas entidades. A expectativa segue sendo a de abertura de um processo efetivo de diálogo capaz de trazer avanços nas demandas mais urgentes apresentadas pelos servidores. Entre elas destacam-se a busca por reajuste em benefícios como o auxílio alimentação e a antecipação da parcela de reajuste prevista para janeiro de 2015. As duas demandas estão embasadas por estudos feitos pela subseção do Dieese na Condsef.

Atividades de pressão e greve serão destaque em plenária – Para buscar esses e outros avanços, o CDE aponta novas atividades de pressão nos estados no dia 9 de abril no que seria um grande Dia Nacional de Lutas. Outra atividade em Brasília aconteceria no dia 29 de abril. Os calendários propostos pelo CDE também serão levados para crivo dos representantes da base da Condsef que participam nesta quinta, 20, de uma plenária nacional da maioria dos servidores do Executivo. A necessidade de deflagração de greve também será objeto de debate nesta plenária.

Ações de pressão seguem sendo fundamentais e continuam como o diferencial para que a categoria consiga os avanços esperados no atendimento de suas principais demandas. Por isso, a Condsef segue defendendo a importância de reforçar a mobilização e unidade entre os servidores em torno de sua pauta emergencial de reivindicações.

Fonte: Condsef