A aposentadoria não significa um final, mas sim uma nova fase em que a pessoa poderá realizar outros objetivos e projetos

terça-feira, 18 de março de 2014

Câmara discute o projeto que garanta aposentadoria especial para as agentes da Polícia Federal, Civil e Rodoviária


A Câmara discute o projeto que garanta aposentadoria especial, aos 25 anos de contribuição, para as agentes da Polícia Federal, Civil e Rodoviária que tenham pelo menos 15 anos de profissão.

Vários estados já permitem a aposentadoria das policiais civis com 25 anos de atividade.

Saiba mais sobre o tema com a repórter Renata Tôrres.

Renata Tôrres: Mulheres policiais cobraram, nesta terça-feira (11), a aprovação do projeto que permite que as integrantes das polícias Federal, Rodoviária e Civil se aposentem depois de 25 anos de contribuição à Previdência Social, desde que estejam há pelo menos 15 anos na carreira (PLP 275/01). Elas participaram de manifestação na Câmara dos Deputados. De acordo com a legislação atual (Lei Complementar 51/85), os policiais vinculados ao governo federal só podem se aposentar depois de 30 anos de serviço, desde que tenham ao menos 20 anos de exercício em cargo de natureza estritamente policial. A regra vale para homens e mulheres. Por outro lado, na maior parte dos estados, as mulheres policiais civis já podem se aposentar depois de 25 anos de serviço. A coordenadora-adjunta da bancada feminina, deputada Erika Kokay, do PT do Distrito Federal, declarou que aprovar o projeto é fazer justiça.

Erika Kokay: Nós temos aposentadoria diferenciada para professores, que têm aposentadoria especial. Nós temos aposentadoria diferenciada para as mulheres que exercem uma série de profissões que gozam de aposentadoria especial. Não tem sentido que isso não atinja as policiais. É se o Estado dissesse, ao não implentar a Constituição, que as mulheres policiais são invisíveis e que as mulheres policiais não existem nesse País.

Renata Tôrres: No fim de fevereiro, o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, recebeu um grupo de mulheres policiais que pediu a inclusão do projeto da aposentadoria especial na pauta do Plenário. Na ocasião, o presidente apoiou a reivindicação. Ele disse que, tão logo a pauta estivesse destrancada, incluiria o projeto na relação das primeiras matérias que seriam deliberadas pela Câmara. O projeto, que veio do Senado, já foi aprovado naquela Casa. 

Fonte: Rádio Câmara