A aposentadoria não significa um final, mas sim uma nova fase em que a pessoa poderá realizar outros objetivos e projetos

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Entidades unem forças pela revogação de aumento abusivo no Capesaúde


A Condsef participou de reunião essa semana na Funasa onde foram debatidas soluções que derrubem o aumento abusivo praticado pelo Capesaúde, plano de autogestão que atende servidores do Ministério da Saúde (MS), Funasa e seus dependentes. Da reunião participaram outras entidades que representam a categoria, além de todos os membros do Conselho Deliberativo e Fiscal do plano de saúde, o atual presidente da Capesesp, Cassimiro Borges, e o diretor administrativo da Funasa, Carlos Luiz Barros. As tentativas do presidente da Capesesp de explicar o aumento praticado não foram bem recebidas. A postura unânime das entidades representativas dos servidores é de que a o conselho do Capsaúde deve revogar o aumento e devolverr o que já foi cobrado dos servidores. As próprias patrocinadoras do plano (Funasa e MS) se posicionaram contra os reajustes aplicados sem termos aditivos e determinaram aos representantes do conselho deliberativo que revertam essa decisão. As entidades representativas dos servidores apresentaram documento com propostas (veja aqui) a serem discutidas em reunião agendada para o dia 27 deste mês.

A expectativa é de que MS, Funasa, Capsaúde e entidades se juntem para formular alternativas e construir saídas para a situação do plano sem transferir valores abusivos aos associados. Muitos servidores tiveram mensalidade do plano reajustada em mais de 200%. As próprias patrocinadoras do plano (Funasa e MS) se posicionaram contra os reajustes aplicados sem termos aditivos e determinaram aos representantes do conselho deliberativo que revertam essa decisão.

Fora Cassimiro – Na reunião o presidente da Capesesp voltou a reiterar que está lançado o desafio do abaixo-assinado que pede seu afastamento. Caso 2% dos associados peça sua renúncia ele irá acatar a decisão. A Condsef continua solicitando às suas filiadas que enviem os abaixo-assinados até o dia 24 de fevereiro. O objetivo é entregar as assinaturas no dia da reunião do conselho deliberativo do plano que acontecerá no Rio de Janeiro. Na oportunidade deve ser realizado um ato para referendar o pedido de “Fora Cassimiro”.

Nesta sexta, 14, a Confederação recebeu a informação de que em Santa Catarina o Sintrafesc, entidade filiada à Condsef, por meio de sua assessoria jurídica, conseguiu liminar interrompendo a cobrança dos reajustes abusivos aplicados pelo Capsaúde. Caso a decisão seja descumprida uma multa no valor de R$ 50 mil deverá ser aplicada ao plano. Frente aos últimos acontecimentos, a Condsef continua apostando que a força e unidade dos servidores irão reverter esse aumento abusivo e fazer com que a categoria saia vitoriosa dessa batalha.

Fonte: Condsef