A aposentadoria não significa um final, mas sim uma nova fase em que a pessoa poderá realizar outros objetivos e projetos

sábado, 3 de agosto de 2013

Dnit quer retorno de até 100% de servidores em greve e Condsef alega que não se pode impedir direito legítimo dos trabalhadores


Nesta sexta-feira a Condsef participou de uma audiência com a ministra do Superior Tribunal de Justiça (STF), Eliana Calmon, que assinou medida cautelar solicitando manutenção de 50% dos serviços funcionando no Dnit, que segue com categoria em greve por tempo indeterminado. Também participaram da audiência representantes do Dnit e da AGU que ingressaram com outra medida cautelar requerendo aumento do percentual de servidores trabalhando. Em algumas áreas o Dnit quer garantir entre 80 a 100% dos servidores trabalhando. A assessoria jurídica da Condsef apresentou uma petição pedindo a impugnação dos requerimentos feitos pelo Dnit. Uma das alegações tem base no fato de que não se pode negar aos servidores um direito de greve, garantido constitucionalmente.

A ministra ouviu as partes e informou que irá analisar e despachar um processo com relação a essa situação até segunda-feira. A expectativa da Condsef é de que o requerimento feito pelo Dnit não seja acolhido uma vez que prejudica o direito constitucional de greve dos servidores que tem cumprido todas as determinações jurídicas expedidas até o momento a respeito de seu movimento legítimo. Na próxima semana os servidores do Dnit vão ao Congresso Nacional para realizar um trabalho intenso de força tarefa nesse retorno de recesso parlamentar. A categoria também apresentou uma proposta alternativa para tentar destravar os impasses instalados nas negociações no Ministério do Planejamento.

A Condsef segue dando todo apoio à greve do Dnit e aos movimentos de mobilização que crescem junto à base. Essa semana os servidores do HFA também aprovaram uma greve por tempo indeterminado. Todos esses movimentos de luta e pressão são fundamentais para buscar e garantir avanços em processos de negociação com o governo.

Fonte: Condsef