A aposentadoria não significa um final, mas sim uma nova fase em que a pessoa poderá realizar outros objetivos e projetos

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Imprensa Nacional: Futuro incerto

D.O.U. 1, D.O.U. 2, D.O.U. 3

Ari Cunha 

(Visto, Lido e Ouvido)

Parece que tem alguém dando fim, contando os dias ou leiloando algum bem. Um bem público. Um bem que já foi um dos principais órgãos do país e era reconhecido como tal. Era a transparência do governo na era analógica. A cada dia que passa, a Imprensa Nacional vai definhando. Os terceirizados tentam manter diariamente as máquinas aquecidas. O descaso, a falta de investimentos, o corte de 50% de funcionários… Os áureos tempos deram lugar à depressão e à tristeza. 

Nos 151 anos de publicação do Diário Oficial da União, o D.O.U., a angústia toma conta do lugar e das pessoas. Não é só o descaso da União, é também a presença da internet, que ainda não foi bem explorada. Há chance de inovação, já que a rede mundial de computadores ensina ao mundo como ser bem-vindo. A agilidade, o alcance, a rapidez e a interatividade proporcionados pelo ambiente virtual são pontos favoráveis à publicação do Diário Oficial. Acontece que, com as restrições orçamentárias, a Imprensa Nacional só tem verba para manter o que já existe. E pelo sinal dado na última audiência pública (autoridades do governo não apareceram) para discutir o futuro do órgão, não é preciso ter bola de cristal para saber o que vai acontecer. O som do martelo...
(Circe Cunha)

Fonte: Correio Braziliense