A aposentadoria não significa um final, mas sim uma nova fase em que a pessoa poderá realizar outros objetivos e projetos

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Reunião entre Condsef e Casa Civil intermediada por senador Lindbergh deve acontecer em outubro


A Condsef recebeu nesta terça-feira a informação de que uma reunião entre a entidade e a Casa Civil que está sendo intermediada pelo senador Lindbergh Farias deve acontecer entre o final deste mês e o início de outubro. A assessoria do senador informou que o secretário-executivo da Casa Civil que irá receber a Confederação está de licença e assim que retornar a reunião deverá ser confirmada. Na oportunidade a Condsef vai solicitar intervenção da Casa Civil em busca de solução para uma série de demandas urgentes que permanecem pendentes. Serão abordados temas como a inclusão de servidores anistiados no Regime Jurídico Único (RJU), o número excessivo de processos administrativos (PAD´s) que podem caracterizar perseguição injusta a servidores, a busca pela equiparação de tabelas salariais da maioria das categorias do Executivo com a tabela criada pela Lei 12.277/12, a antecipação de parcela de reajuste referente a 2015, baseada em estudo feito pelo Dieese, entre outros assuntos.

A Condsef também segue cobrando do Ministério do Planejamento uma agenda de reuniões para continuar buscando avanços em itens de uma série de termos de acordo firmados no ano passado. Alegando priorizar setores que não haviam firmado acordo com o governo o Planejamento postergou todas as negociações em curso para setembro. No entanto, nenhuma agenda oficial de reuniões ainda foi confirmada. A entidade também aguarda confirmação de reuniões essa semana na Secretaria de Relações do Trabalho para tratar questões pendentes referentes ao fim das greves no Dnit e HFA.

A categoria deve permanecer atenta. A Condsef vai continuar acompanhando os desdobramentos do fim da greve. A entidade segue também lutando e trabalhando para que as reivindicações e acordos ainda não cumpridos de setores de sua base sejam atendidos. A entidade volta a reforçar que para auxiliar na busca pelo atendimento de suas principais demandas os servidores devem permanecer atentos e reforçar sua mobilização. Para isso uma grande greve em 2014 não está descartada. A pressão junto ao governo é um elemento essencial para garantir que pontos urgentes e necessários que fazem parte da pauta de reivindicação das categorias possam alcançar os avanços esperados.

Fonte: Condsef