A aposentadoria não significa um final, mas sim uma nova fase em que a pessoa poderá realizar outros objetivos e projetos

quarta-feira, 12 de junho de 2013

Entidades sindicais realizam protesto contra Reforma da Previdência e EBSERH


O SINTSEF/CE participou hoje, representado pelo coordenador Luciano Filgueiras, de movimento organizado pelo SINTUFC para protestar contra a reforma da previdência e a EBSERH.

O protesto foi um direcionamento do fórum nacional em defesa dos servidores e serviços públicos, que sugeriu que todos os estados realizassem um dia nacional de luta.

Em Brasília, no período da tarde, houve um ato em frente ao Supremo Tribunal Federal (STF) . Ficou acertado que as entidades aproveitariam a ocasião para protocolar uma ação no Supremo como “amicus curiae” de uma ação movida pelo Psol em busca da anulação da Reforma da Previdência. Alguns elementos foram agregados à ação que em sua essência continua buscando o que o STF já reconheceu quando julgou a Ação Penal 470, apontando que a reforma foi aprovada com auxilio da compra de votos.

Além de Brasília, outras atividades pela anulação da Reforma da Previdência, em defesa da pauta de reivindicações da Campanha Salarial 2013, contra a EBSRH e projetos como o PL 92/07 que propõe a criação de fundações estatais de direito privado aconteceram nos estados.

No Ceará, o foco principal do protesto foi a EBSERH. O mesmo aconteceu em frente a Faculdade de Medicina da UFC, no bairro Porangabussu.

Em texto distribuído pelo SINTUFCE a explicação para a não aprovação da existência da EBSERH por parte dos servidores. O texto diz:

“A EBSERH é a privatização dos hospitais universitários, privatização não clássica, dado que não se trata da vendas das instituições públicas de saúde e educação, tal como realizado com as empresas estatais e o setor bancário nos governos FHC. A EBSERH é estabelecida por um modelo jurídico-institucional e relações público-privadas, que permite a criação de condições legais para o livre fornecimento privado e para o direcionamento das instituições públicas para a esfera privada, a partir de parcerias, contratos e convênios com o setor empresarial, que resultam em mercantilização das funções e atividades públicas”

Fonte: Sintsef/Ce