A aposentadoria não significa um final, mas sim uma nova fase em que a pessoa poderá realizar outros objetivos e projetos

terça-feira, 28 de maio de 2013

Retrocedendo em processos de negociação, Planejamento pede reenvio de pauta de reivindicações a servidores da Funai e SPU


A Secretaria de Relações do Trabalho (SRT) do Ministério do Planejamento têm repetido o que parece ser uma estratégia para retardar os processos de negociação em curso com diversas categorias da base da Condsef. Em duas reuniões ocorridas nesta terça-feira, para tratar a pauta de reivindicações dos servidores da SPU e da Funai, a SRT solicitou que as demandas fossem reencaminhadas. A alegação principal é de que a SRT conta com uma equipe de novos gestores que precisam se inteirar dos temas tratados. Em todos os encontros a Condsef tem protestado quanto a esta postura uma vez que muitos temas vêm sendo debatidos há anos e a retomada do ponto de partida é um retrocesso muito grande que precisa ser evitado a todo custo. Assim como solicitou aos servidores do Dnit a repactuação de prazos para um retorno às demandas da categoria, os servidores da Funai e da SPU também terão que aguardar o agendamento de reuniões entre junho e julho para obter retorno de suas principais reivindicações.

Frente aos movimentos de recuo e a tendência já demonstrada pela SRT de dilatar os prazos para retorno das demandas apresentadas pelos servidores, a Condsef reforça mais do que nunca a necessidade de intensificar a unidade e mobilização dos setores de sua base. O processo de pressão constante é fundamental para enfraquecer a tática do governo de empurrar os processos de negociação ao limite dos prazos para inclusão de propostas no orçamento. É importante que as entidades filiadas à Condsef realizem assembleias permanentes para que a categoria discuta e defina ações que possam auxiliar no avanço dos processos de negociação.

A Condsef segue cobrando do governo o retorno e cumprimento de demandas específicas e também do acordo firmado no ano passado que garante a negociação de reestruturação de diversas carreiras. No entanto, para que os servidores tenham assegurado retorno de suas demandas centrais, a mobilização, unidade e pressão são elementos de luta imprescindíveis.

Fonte: Condsef