A aposentadoria não significa um final, mas sim uma nova fase em que a pessoa poderá realizar outros objetivos e projetos

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Ponto do Servidor


Mais greves em 2012 
Anote aí: em 2012 ocorreram no Brasil 873 greves, 58% a mais do que o registrado em 2011, segundo dados do Sistema de Acompanhamento de Greves (SAG), do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). No ano de 2012, foram registradas 86,9 mil horas paradas, alta de 37% na comparação com 2011. O número de greves deflagradas pelos trabalhadores da esfera privada (461) superou o registrado pela esfera pública (409). Ou seja, o setor privado representou 53% do total e o público, 47%. 

Horas paradas 
Na esfera pública, em empresas estatais, metade das greves ocorreu no setor de serviços (14). Já no funcionalismo público, os servidores municipais deflagraram a maioria das greves (227). Na comparação do total de horas paradas, as greves da esfera pública somaram 65,4 mil horas e no setor privado, 21,2 mil horas paradas. 

Êxito na pauta 
Quanto à duração, 265 greves (30%) foram encerradas no mesmo dia e 255 (29%) não ultrapassaram cinco dias. Foram registradas 101 greves com duração superior a 30 dias, sendo que 87 delas ocorreram no funcionalismo público. O cálculo de êxito no atendimento das reivindicações, que abrangeu 533 greves (61% do total), mostrou que aproximadamente 75% dos movimentos conseguiram um resultado favorável. 

Reenquadramento 
O Plenário do Conselho Nacional do Ministério Público aprovou, por unanimidade, procedimento de controle administrativo que “requer que seja dada nova interpretação à Lei 12.773/12, devendo a administração deste Conselho Nacional aplicar as normas não derrogadas da Lei 11.415/06, com o reenquadramento dos servidores no padrão condizente com a quantidade progressões/promoções alcançadas.” 

Classe e padrão 
Na prática, os servidores do CNMP serão reenquadrados na forma defendida pelo sindicato da categoria, o Sindjus, em todo o Ministério Público da União e no Judiciário, ou seja, permanecerão nominalmente na classe e padrão em que estavam localizados antes da aplicação da nova lei. 

Aglutinação de cargos 
A Confederação Nacional dos Trabalhadores no Serviço Público (Condsef) esteve na Secretaria de Relações do Trabalho (SRT) do Ministério do Planejamento em reunião que teve como tema central a aglutinação de cargos. Na ocasição, apresentou proposta capaz de aglutinar cargos com mesma escolaridade, atribuições e remuneração na administração pública. A nota técnica foi protocolada junto ao Planejamento. 

Dinheiro do laptop 
Diante do alto número de professoras e professores que não tiveram o crédito referente a parcela do laptop depositado, a diretoria do Sinpro entrou em contato com a Fundação de Apoio à Pesquisa (FAP) e na próxima semana será disponibilizado um e-mail para que todos que tiveram problemas possam se comunicar com a fundação. Em muitos casos a falta de pagamento ocorreu em decorrência da mudança da conta bancária do professor. 

Paralisações relâmpagos 
Os servidores de nível médio da carreira de Saúde decidiram em assembleia inicia uma série de paralisações relâmpagos a partir da próxima semana nos hospitais da rede pública. A decisão ocorreu após o GDF ter anunciado reajuste salarial de 69% apenas para os médicos. Além disso, destaca a categoria, os enfermeiros já foram beneficiados com aumento. 

“Deixadas de lado” 
“É mais do que justo o reconhecimento a esses colegas de área, mas o governador Agnelo precisa entender que a saúde não é feita apenas de médicos e de enfermeiros. Temos outras 104 categorias que nos ajudam a construir a saúde pública do DF e que estão sendo deixadas de lado”, reclama a presidente do Sindicato dos Servidores em Estabelecimentos de Saúde no DF, Marli Rodrigues. 

Braços cruzados 
Com o tema “Governador, somos servidores e não serviçais”, os cerca de oito mil filiados à entidade prometem permanecerem mobilizados e não descartam a suspensão dos trabalhos a partir do dia 5 de junho. Entre as reivindicações da categoria estão a isonomia na carga horária, implementação do auxílio-saúde, reposição salarial com base nos índices da inflação e antecipação das parcelas da GATA, gratificação recentemente conquistada pelos servidores de nível médio. 

Fonte: Jornal de Brasília