A aposentadoria não significa um final, mas sim uma nova fase em que a pessoa poderá realizar outros objetivos e projetos

terça-feira, 2 de abril de 2013

Aprovados novos cargos efetivos para o Executivo



Criação de 1.416 vagas a serem preenchidas por concurso público cumpre compromisso do governo com o Ministério Público para substituir mão de obra terceirizada por profissionais de carreira.



Criação de cargos aprovada pela CCJ na quarta ainda será votada pelo Plenário 


A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) aprovou por unanimidade, na quarta-feira, a criação de 1.416 vagas em cargos públicos federais de provimento efetivo, a serem preenchidas por concurso público. O projeto deverá ser votado pelo Plenário em regime de urgência nesta semana.

A iniciativa partiu do Poder Executivo e atende compromisso firmado com o ­Ministério Público do Trabalho, que determinou a dispensa de mão de obra terceirizada e a contratação de profissionais de carreira para substituí-la.

As novas vagas estão previstas em projeto de lei da Câmara (PLC 123/2012). Estão sendo criadas 400 vagas no cargo de técnico administrativo da carreira de especialista em meio ambiente, para o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais ­Renováveis (Ibama) e o Instituto Chico Mendes de Conservação da ­Biodiversidade (ICMBio).

A Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) deverá contar com mais 83 vagas para o cargo de analista técnico administrativo, enquanto o quadro de pessoal da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) terá mais 93 vagas na função de técnico administrativo.

Foram destinadas 260 vagas para o cargo de agente administrativo ao Departamento de Polícia Rodoviária Federal e 330 para o cargo de analista de comércio exterior, vinculado ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

A proposta também ampliou o número de postos em dois cargos da área de infraestrutura: o de especialista em infraestrutura sênior (100 vagas) e o de analista de infraestrutura (150 vagas).

Fonte: Jornal do Senado