A aposentadoria não significa um final, mas sim uma nova fase em que a pessoa poderá realizar outros objetivos e projetos

quinta-feira, 7 de março de 2013

Planejamento confirma para dia 12 reunião onde vai divulgar calendário de negociações específicas dos setores da base da Condsef

Corrigido em 06/03 às 17h34 - O Ministério do Planejamento confirmou para a próxima terça-feira, 12, a reunião onde vai divulgar o calendário de negociações específicas dos setores da base da Condsef. A Secretaria de Relações do Trabalho (SRT) havia sinalizado o mês de março para dar continuidade às negociações com a Confederação. Além dessas reuniões setoriais, temas conjuntos da base da Condsef – entre eles os que fazem parte do Termo de Acordo nº 11 – também devem ser pautados. A Confederação solicitou que fossem priorizados três temas num primeiro momento: 1) a busca para que seja considerada para fins de aposentadoria a média dos pontos da gratificação recebida pelo servidor nos últimos cinco anos. 2) a equalização de tabela salarial que envolve a Lei 12.277/10. 3) A implantação de gratificação de qualificação (GQ) para categorias que ainda não possuem.

A Condsef vai formalizar junto ao Planejamento todas as demandas e resoluções aprovadas nas plenárias promovidas pelos setores de sua base. Em abril, outras vinte categorias da base da Confederação vão realizar suas plenárias setoriais. Veja o calendário de atividades previsto para os meses de março e abril. Além disso, a Condsef segue unida às demais entidades que compõem o fórum em defesa dos servidores e serviços públicos.

Marcha e encontro com Dilma – Nesta quarta, a Condsef participou da 7ª marcha das centrais sindicais que levou para a Esplanada dos Ministérios pelo menos 50 mil trabalhadores. A forte mobilização e unidade entre trabalhadores dos setores público e privado conseguiu que representantes das centrais fossem recebidos pela presidenta Dilma Rousseff. Entre as bandeiras de luta está a regulamentação definitiva da negociação coletiva no serviço público, além da defesa pela ampliação dos investimentos públicos. Completam as bandeiras de luta o fim do fator previdenciário; reforma agrária; 40 horas semanais sem redução de salário; igualdade de oportunidades entre homens e mulheres; política de valorização dos aposentados; 10% do PIB para a educação; 10% do Orçamento da União para a saúde; correção da tabela do Imposto de Renda e ratificação da Convenção 158 da OIT – que impede a demissão imotivada. A Condsef vai acompanhar o resultado da reunião com a presidenta e divulgará novas informações aqui na página.

A Confederação seguirá pressionando para que o governo apresente solução de problemas que estão prejudicados servidores de sua base, além de cobrar atendimento das demandas mais urgentes das categorias que representa. Acompanhe. Todas as informações de interesse dos servidores da base da Condsef vão continuar sendo divulgadas aqui em nossa página.

Fonte: Condsef