A aposentadoria não significa um final, mas sim uma nova fase em que a pessoa poderá realizar outros objetivos e projetos

quinta-feira, 14 de março de 2013

Anistiados do Arsenal da Marinha fazem greve de fome em frente à AGU


Grupo de 190 trabalhadores da empresa reparadora de navios foram anistiados há três anos. AGU deu parecer contra


Um grupo de 38 trabalhadores do antigo Arsenal da Marinha faz nesta quinta-feira mobilização em frente ao prédio da Advocacia Geral da União (AGU). Eles estão acampados e protestam contra parecer da AGU que impede que um total de 190 trabalhadores recebam indenizações de anistiados políticos que eles acreditam ter direito, e que foi aprovada pela Comissão de Anistia há três anos.

Do total de manifestantes, 14 deles estão em greve de fome. A prestação mensal a que cada um tem direito é de R$ 2 mil. O retroativo que cabe a cada um, segundo a decisão da comissão, é, em média, de R$ 300 mil.

O presidente da Comissão da Anistia, Paulo Abrão, enviou ofício para a AGU solicitando a revisão da decisão. Na tarde desta quinta-feira haverá nova rodada de conversa com a AGU.

O Arsenal de Marinha era uma empresa mista, que prestava serviço de conserto e reparo de submarinos e navios, tantos civis quanto militares.

Eles recorreram à Comissão de Anistia porque se julgam perseguido pelo governo por causa de uma greve realizada em 1985. Os manifestantes estão em Brasília desde a última segunda-feira

Fonte: O Globo