A aposentadoria não significa um final, mas sim uma nova fase em que a pessoa poderá realizar outros objetivos e projetos

terça-feira, 26 de junho de 2012

Greve continua crescendo. Acampamento em Brasília está confirmado para julho

A greve da base da Condsef continua crescendo em todo o Brasil fortalecendo o movimento dos servidores que lutam por avanços nos processos de negociação e a apresentação de propostas concretas por parte do governo. Nesta terça-feira servidores do Ministério da Integração Nacional em Brasília, do Incra na Bahia, da Funai no Ceará, na Paraíba e no Mato Grosso e da Saúde também em Mato Grosso aderiram a paralisação por tempo indeterminado. No Rio de Janeiro também engrossam o movimento servidores do Datasus e Fundo de Marinha Mercante. Inpi, Cnem e Dnit realizam paralisação de 48 horas e seguem mobilizados no estado. Servidores da Cultura também realizam assembleia para definir adesão ao movimento. Até agora a greve atinge 14 estados (PA, SE, AP, MT, MS, PR, RJ, GO, MA, TO, PI, BA, CE, PB) e o Distrito Federal (Veja fotos da greve ) em nossa página institucional no Facebook). Com a greve se fortalecendo a cada dia, as entidades nacionais confirmaram hoje a realização de um acampamento em Brasília entre os dias 16 e 20 de julho com a presença de representantes dos servidores em greve e mobilizados em todo o Brasil. 

O objetivo é promover uma vigília e pressionar o governo a apresentar propostas concretas aos setores mobilizados. Entre as categorias em greve estão servidores do Incra, Funai, Funasa, Saúde, Agricultura, Area Ambiental, Arquivo Nacional, HFA, PRF, Cnem, Ceplac, Trabalho e Emprego, Previdência Social, Integração Nacional, entre outros. A greve da base da Condsef, que representa 80% dos servidores do Executivo Federal, se soma a paralisação dos professores que já dura mais de um mês e dos administrativos das universidades federais, também parados em todo o Brasil em busca da apresentação de uma proposta concreta para reivindicações apresentadas desde janeiro.

MP 568/12 e audiências – Além do acampamento em Brasília, representantes de 31 entidades nacionais que compõem a Campanha Salarial 2012 dos servidores federais aprovaram também a realização de um trabalho de força tarefa no Congresso Nacional para garantir que as alterações promovidas pelo relator da medida provisória (MP) 568, senador Eduardo Braga, sejam aprovadas pelos parlamentares. As entidades seguem estudando o texto da MP. A Condsef já está em contato com o Diap, Dieese e sua assessoria jurídica para confirmar se a situação dos médicos foi definitivamente solucionada no texto da medida sem que a carreira da categoria tenha sido comprometida de forma negativa para os trabalhadores.

Outra determinação das entidades nacionais é de buscar audiências com a ministra do Planejamento, Miriam Belchior e o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho. O objetivo é buscar soluções para os conflitos instalados e garantir o atendimento emergencial de demandas importantes para assegurar melhorias no atendimento público e acesso a serviços de qualidade para a população brasileira.

Nesta quarta, 27, a Condsef realiza uma reunião do seu Conselho Deliberativo de Entidades (CDE). Além de promover a instalação permanente de um Comando Nacional de Greve de sua base, a Condsef vai reforçar a necessidade de que suas entidades filiadas promovam mais assembleias para que a greve seja fortalecida e ampliada nos estados. A Condsef volta a lembrar que somente o reforço na mobilização nacional será capaz de fazer com que a categoria obtenha vitórias significativas em um processo de negociações que ainda não apresentou as respostas de melhorias que os servidores e serviços públicos necessitam.

Fonte: CONDSEF