A aposentadoria não significa um final, mas sim uma nova fase em que a pessoa poderá realizar outros objetivos e projetos

sábado, 4 de agosto de 2012

Márcio Macêdo participa de ato de servidores federais

O deputado disse achar justa a reivindicação da categoria

Deputado diz estar solidário à luta da categoria
 (Foto: Divulgação)
 
O deputado federal Márcio Macêdo (PT) participou nesta sexta-feira, 3, em Aracaju, de um ato dos servidores federais da Saúde, que estão em greve há 45 dias. Eles pleiteiam reposição das perdas salariais, incorporação de gratificações, reestruturação da carreira da Previdência, Saúde e Trabalho – PST – e o estabelecimento de uma data-base. O parlamentar sergipano se colocou à disposição da categoria e afirmou que irá atuar para ajudar a reabrir o diálogo com o Governo Federal.

“Solidarizo-me ao movimento, ao direito sagrado e constitucional do trabalhador fazer greve. Acho justa a reivindicação da categoria e coloco o meu mandato à disposição para tentar resolver o impasse. Já recebi a proposta, li com atenção e irei atuar em Brasília para que os servidores e o Governo cheguem a um consenso”, afirmou Márcio Macêdo, durante ato que ocorreu na sede do Ministério da Saúde em Sergipe, na Rua Lagarto, no Centro de Aracaju.

De acordo com o deputado, ele solicitará uma reunião com o presidente do PT, o deputado federal Ruy Falcão, e duas audiências – uma com o ministro Gilberto Carvalho (secretário-geral da República) e outra com o ministro da Saúde, Alexandre Padilha. “Precisamos refletir a saúde, compreender a crise pela qual o setor passa no mundo inteiro e não só no Brasil. É preciso pensar em um novo conceito e em um novo paradigma, com a devida valorização dos profissionais da área”, afirmou.

O parlamentar ressaltou que, nos últimos dez anos, houve melhorias significativas na relação entre o Governo e os servidores, nas duas gestões do ex-presidente Lula e na gestão atual da presidente Dilma Rousseff, mas reconheceu que ainda é preciso avançar. “Não sou de enganação. Sou verdadeiro. Não vou fazer um discurso radical e depois ir embora e as palavras ficarem ao vento. Vou tentar buscar os meios possíveis para reabrir o diálogo, mas não posso dizer que tudo será resolvido imediatamente”, ressaltou.

Fonte: Assessoria Parlamentar

Nenhum comentário:

Postar um comentário